segunda-feira, agosto 28, 2006

Teste WXC7



No decurso do último mês tive finalmente a possibilidade de colocar a minha Canyon "à prova" e posso dar a minha opinião acerca do seu comportamento. A minha bici anterior era uma specialized hardrock sport e a diferença relativamente à Canyon é abismal! Destaco desde logo o conforto excepcional, que nos faz esquecer a existência de pedras e regos nos caminhos. O quadro é xs - não se pense todavia que é um quadro "extra small". Meço 1, 62m e tenho 73 cm de "entre-perna" e acho difícil que alguém com menos de 70 cm de "entre-perna" se consiga encaixar a 100% na geometria da bike. Nesse sentido, deixo uma chamada de atenção para todas que estão a pensar adquirir uma canyon wxc, que tenham em atenção este facto - de um modo geral, em termos de estatura, as mulheres portuguesas não têm as mesmas medidas que as suas congéneres alemãs e a canyon parece ter pensado menos no mercado latino que no do norte da Europa. A posição de condução é boa. Optei por um avanço médio em detrimento do pequeno que vinha de origem na bici, uma vez que prefiro uma posição de condução mais "racing". Em todo o caso, o avanço é ajustável, o que permite optar por uma medida mais de acordo com as características particulares da condução de cada pessoa. Em relação ao quadro, a qualidade deste faz-se notar em particular no reforço das soldaduras e na pintura cuidada. No que diz respeito aos componentes, devo dizer que a suspensão e o amortecedor são de facto os expontes máximos da bici. Não me vou alongar acerca das virtudes da suspensão fox rl e do amortecedor rp3, uma vez que já tudo foi dito acerca desta matéria. No entanto, penso que todas as mulheres que tiverem possibilidade, deveriam optar por suspensões/amortecedores fox em detrimento de outras marcas, em virtude da fox ser inagualável em termos de suavidade. O meu marido, por ex., tem uma RS Reba, e embora esta seja de facto uma excelente suspensão a suavidade da fox é incomensuravelmente superior. Ora, como o peso das mulheres , em termos genéricos, é substancialmente inferior aos dos homens, a suavidade das "suspensões" tem aqui um papel determinante. Nota muito positiva também para os restantes componentes, em particular para os desviadores XT que vinham com uma afinação milimétrica de fábrica e os travões Magura Julie que para alguém que pesa 53 Kg são mais do que suficientes. A pedaleira e os "Shifters" Deore, não sendo componentes de topo, garantem pelo menos fiabilidade e uma qualidade minimamente aceitável. Fiquei surpreendida com a qualidade/peso das rodas Iridium e do avanço Syntace. Finalmente duas palavras sobre os pneus. Em virtude de algumas críticas negativas, optei pos subsituir o Schwalbe Racing Ralph da frente por um specialized Adrenaline, devido ao alegado pouco agarre lateral do primeiro. Os Racing Ralph são uns roladores por excelência e agarram bem em subidas, mas carecem do apoio lateral para as descidas mais técnicas.
Em termos genéricos, faço uma avaliação muito positiva desta bici. Penso que a relação qualidade/preço, à semelhança de muitas outras canyon, não tem rival. Devo ainda dizer que tinha dores nas costas e nos braços sempre que fazia BTT. No tempo que levo de Canyon WXC7 estas dores desapareceram por completo e as minhas costas têm sido de sobremaneira sobrecarregadas pelo nascimento há cerca de dois meses do Filipe.
Cláudia :-)

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home